31 de Março de 1964 ainda não terminou

Atualizado: 2 de Mai de 2019

Unindo farsa e tragédia, Bolsonaro, Mourão e Paulo Guedes, mandam militares comemorarem o golpe de 1964, enquanto o povo sofre com o crescimento do desemprego e da miséria.


O golpe civil-financeiro-militar de 31 de março de 1964 instalou uma ditadura e fez o Brasil mergulhar em um criminoso período de repressão e violência política contra seus opositores e todos os trabalhadores.


A ditadura implementou uma série de contrareformas que visavam a restringir direitos e garantias trabalhistas. Acabou com a estabilidade no emprego e combateu as organizações sindicais. Criminalizou a crítica e implementou um falso discurso nacionalista. Brasil, ame-o ou deixe-o, diziam... mas isso apenas mascarava a subserviência dos governantes aos desmandos do grande capital transnacional, em especial dos EUA, mentores intelectuais do golpe.


Agora, a mesma história parece se repetir, ainda que trajada de ares falsamente "democráticos". Eleito pelo voto, Bolsonaro elogia a ditadura e a tortura, mandando gastar dinheiro público em champanhe e caviar para comemorar o golpe de 1964,enquanto o povo sofre com o crescimento do desemprego.



Combate direitos básicos do povo, chamando-os de privilégios, enquanto ele próprio e seus aliados mais próximos, desfrutam de uma vida de luxo.


Bolsonaro afirma querer reformar a previdência e "combater privilégios", mas aumenta os salários dos generais, enquanto tunga o bolso de soldados, cabos, sargentos e tenentes, que pagarão a conta do aumento da elite militar.

É a história se repetindo como farsa e tragédia ao mesmo tempo, mas tenham certeza que o Sindisep/RJ estará nas ruas em defesa da democracia e dos direitos dos trabalhadores.

Sindicato é pra lutar, Sindisep/RJ!

2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

ASSEMBLEIA DO SINDISEP-RJ

Companheiras e companheiros: Queremos lembrar que hoje, as 10h30 em primeira convocação e 11h00 em última, será realizada uma assembleia geral do Sindisep-RJ que tem como pauta a deflagração de greve

Rua Visconde de Inhauma, n.º 58, sala 1108 - Centro

Rio de Janeiro - RJ, CEP 20091-007 - Brasil