top of page

GREVE DA EBSERH: TRABALHADORES SOFREM COM ANOS DE INFLAÇÃO!

A Criação da Ebserh e Contexto Histórico:

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2012, através da Lei nº 12.527, para gerir os hospitais universitários federais. A empresa atua como uma organização social (OS), com autonomia administrativa e financeira, mas ainda sob a tutela do Ministério da Educação (MEC).

Desde sua criação, a Ebserh tem sido palco de diversas mobilizações e reivindicações por parte dos seus trabalhadores, que lutam por melhores condições de trabalho, salários dignos e reajuste salarial compatível com a inflação.


Inflação dos Últimos 5 Anos Encoljhe a Reajuste:

Para avaliarmos a proposta de reajuste da Ebserh, é importante analisar a evolução da inflação nos últimos anos. Segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação acumulada no período de 2019 a 2023 foi de 37,45%.

Ainda que a inflação esteja em uma trajetória de controle e tenham sido aplicados alguns reajustes, estes foram incapazes de recompor a capacidade de compra dos trabalhadores da EBSERH, especialmente pela previsão do INPC, com a inflação dos alimentos projetada em 4,4% em 2024,

Dados da inflação:

  • 2019: 4,31%

  • 2020: 5,46%

  • 2021: 10,74%

  • 2022: 10,56%

  • 2023: 3,71%

A reposição prevista no ACT de 2023, em 4,92%, foi superior à inflação calculada com base no INPC, considerando especialmente a composição deste resultado, em razão da alta de 0,33% nos produtos alimentícios e de 4,83% nos não alimentícios.


Comparação com a proposta de reajuste:

A proposta inicial da Ebserh de reajuste de 2,15% está muito aquém da inflação projetada para 2024 e solidifica as perdas dos últimos 5 anos, representando uma perda significativa do poder de compra dos trabalhadores. A proposta de reajuste bienal, com 80% do INPC do período de 01/03/2025 a 28/02/2026, também é considerada insuficiente pela categoria.


Motivações da Greve e Reivindicações dos Trabalhadores:

Diante da proposta insatisfatória da Ebserh, os trabalhadores da empresa decidiram deflagrar greve por tempo indeterminado, a partir de 2 de maio em Santa Catarina e 6 de maio nos demais estados e no Distrito Federal. A greve é um instrumento de luta para pressionar a empresa a apresentar uma proposta de reajuste mais justa e compatível com a realidade econômica do país.


As principais reivindicações dos trabalhadores são:

  • Reajuste salarial que atenda à inflação acumulada nos últimos anos;

  • Melhores condições de trabalho;

  • Valorização profissional;

  • Respeito aos direitos dos trabalhadores.


A greve da Ebserh é um reflexo da insatisfação generalizada dos trabalhadores com a política de austeridade do governo federal, que vem impactando negativamente os serviços públicos e o poder de compra da população. As trabalhadoras e trabalhadores da Ebserh merecem respeito, assim como outras categorias do serviço público federal, que já receberam propostas com reajuste de 9% em 2025 e 3,5% em 2026, percentual muito superior a proposta oficial da empresa.


A greve da Ebserh é um movimento legítimo e necessário para defender os direitos dos trabalhadores e garantir a qualidade dos serviços públicos de saúde. É importante que o governo federal e a direção da Ebserh abram diálogo com a categoria e apresentem soluções justas para as reivindicações dos trabalhadores.


Agora é greve!



39 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page