top of page

LIBERDADE PARA OS PRESOS POLÍTICOS DO GOVERNO TARCÍSIO DE FREITAS



O fascista Tarcísio Freitas, governador de São Paulo, impôs, por meio da compra de votos e de brutal violência policial, a privatização da SABESP, a maior empresa de tratamento e fornecimento de água do Brasil. A votação de mais esta medida anti-povo ocorreu na Assembleia Legislativa de São Paulo, ALESP, na noite desta última quarta-feira, 6 de dezembro de 2023, e foi marcada por uma série de vícios e, principalmente, por se realizar sem qualquer debate com a sociedade.


Durante a votação, militantes de sindicatos e movimentos populares protestavam e expressavam seu repúdio à manobra do governo, quando foram agredidos de forma covarde pela Polícia Militar de SP e expulsos do prédio da ALESP, resultando em várias pessoas feridas e alguns presos.


Vivian Mendes, Ricardo Senese, Lucas Carvente e Hendryll Luiz, foram detidos e mantidos incomunicáveis por horas na 27ª Delegacia de Polícia de São Paulo, sendo-lhes negado até mesmo o direito básico de serem acompanhados por advogados.


Na tarde de hoje, em audiência de custódia, Hendryll Luis e Lucas Carvente tiveram suas prisões convertidas em provisórias, já à presidenta da UP (Unidade Popular), Vivian Mendes, e à Ricardo Senese, militante do MLC (Movimento Luta de Classes), foram impostas as fianças de um salário mínimo para cada.


Importante destacar a extrema violência com a qual as polícias militares tratam movimentos populares que reivindicam direitos, ao passo que tratam movimentos golpistas de grupos fascistas com condescendência e simpatia, desnudando à quem serve o aparato repressivo do Estado: aos ricos e poderosos.


Nós do Sindisep-RJ nos solidarizamos com todos os que protestavam contra a privatização da SABESP e nos somamos às entidades que exigem a libertação destes presos políticos do governo fascista de Tarcísio de Freitas. Por fim, convocamos todo o movimento sindical a se juntar na defesa do direito de protestar e contra a fascistização das estruturas estatais dos poderes executivo, legislativo e judiciário.


Lutar não é crime, não às privatizações!

1 visualização0 comentário
bottom of page