Salvar vidas ou deixar Bolsonaro sangrar?



Dia 29 de maio o Sindisep-RJ estará no dia de lutas pelo Fora Bolsonaro, você vai participar ou se omitir?


As pesquisas de opinião recentemente divulgadas dão conta do derretimento da popularidade de Bolsonaro e seu “governo”, bem como revelam o crescimento e solidificação de uma candidatura de oposição para as eleições de 2022, em razão da profunda crise econômica provocada pelos “ajustes” neoliberais do banqueiro-ministro Paulo Guedes e da política de genocídio implementada pelo general Pazuello (a mando de Bolsonaro), no Ministério da Saúde.


Diante de tal cenário, alguns setores da sociedade apontam que é “necessário” manter Bolsonaro sangrando na cadeira de Presidente da República, apesar de toda a catástrofe humana por ele provocada diariamente (que vai desde às escandalosas privatizações até aos covardes ataques ao serviço público), para enfraquecê-lo eleitoralmente, permitindo uma vitória mais fácil da dita “oposição”... Ora, o cálculo eleitoral pode até ser verdadeiro, mas o custo humano é inaceitável, e quem o aceita como algo “necessário” ou “inevitável”, se voluntaria como cúmplice do genocídio bolsonarista!


Com Bolsonaro e sua turma no poder, sabotando as medidas urgentes de saúde, o número de mortos não irá recuar de forma significativa, e nem a 2ª onda da Covid-19 será superada. O que se mostra ainda mais assustador quando se vê no horizonte uma 3ª onda da doença, possivelmente mais agressiva e mais letal. No Brasil, com uma média de mais de 2.000 mortes por dia, até que haja a tão “esperada” posse de um novo governo, em 1º de janeiro de 2023, poderemos chegar a 1.500.000 óbitos na pandemia. Mortes evitáveis, causadas pela ausência de vacinação e de políticas concretas de saúde.


Se tais números já são assombrosos, destacamos que eles não consideram os milhares de mortos por fome, em razão do desastre econômico provocado por Paulo Guedes e da falta de políticas sociais e de assistência, além de outras muitas vítimas, em razão do aumento da violência fascista contra o povo pobre e os movimentos sociais!


O Sindisep-RJ - na qualidade de sindicato classista, de sindicato que tem lado, o lado dos servidores públicos, o lado do povo pobre, o lado da classe trabalhadora - não aceita e não participará desse jogo desprezível, que troca milhares de vidas pela possibilidade de fortalecimento de uma candidatura “salvadora” na disputa eleitoral em 2022. A imediata saída de Bolsonaro e sua trupe de banqueiros e generais do poder é indispensável, para salvar vidas, para salvar o serviço público e para garantir um futuro digno para todas e todos!


Dia 29 de maio, 10h00 no Monumento do Zumbi de Palmares, na Av. Presidente Vargas, tem protesto na rua, pelo Fora Bolsonaro, por comida e trabalho para quem precisa, por serviços públicos e por vacinação para todas e todos, nós estaremos lá e contamos com você!


É vacina no braço,

É comida no prato,

É serviço público de fato

É fora Guedes e Bolsonaro!


21 visualizações0 comentário